Seguidores

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A TRANSFORMAÇÃO NASCE NO EU MAIOR



Dizem que na vida tudo passa, tristezas e alegrias, nada perdura para sempre, nas dobras do tempo tudo fica, tudo acaba se tornando lembrança, lembranças boas ou más, mas se tornam lembranças.

A única coisa que realmente permanece são os nossos sentimentos, o que sentimos realmente vindo do fundo de nosso eu, isto permanece, ás vezes até chegamos a pensar que este ou aquele sentimento negativo se extinguiu, mas muitas vezes ele apenas se aquietou, dormiu.

 No entanto, basta um leve toque que torne a lembrança viva do que ou de quem causou aquele sentimento e ele devagarinho vai surgindo e o sentimos como antes ou até mais forte.


Às vezes este fato nos surpreende, afinal havíamos trabalhado tanto para que não mais nos incomodasse, até nos sentimos aliviados por ter conseguido deixar pra trás algo que não nos fazia bem, no entanto, quando nos julgávamos invulneráveis a ele, ele retorna, mostrando-nos o quanto somos frágeis, o quanto falta ainda para realmente termos, dentro de nós, solidificado a nossa mudança, a nossa transformação.


É preciso muita humildade, humildade que não temos muitas vezes nem diante de nós mesmos, para reconhecer que na realidade nos enganamos a nós mesmos, quando julgamos que estávamos livre, curados, apenas desejamos a mudança mas não a consolidamos, porque a desejamos por entender que era o certo, então o nosso racional a desejou e a trabalhamos de fora para dentro. 

Agora quando o desejo de mudança vem de dentro para fora, ou seja, nasce o desejo dentro de nosso eu maior e vai se materializando se tornando sentido em nosso consciente, em nosso racional que então passa a traçar metas para alcançar nosso objetivo, porque o desejo desta forma toma conta de nós por inteiro, por dentro e depois por fora.


Não é fácil, é necessário muita labuta, é necessário muito amor e muita fé, mas devagarinho, bem devagarinho, vamos conseguindo nos curar de cada sentimento negativo que nossa alma gerou através de sua jornada em tantas idas e vindas a esta escola bendita.


Mas eu não desisto, eu sei que ainda falta um bocado para que  eu olhe e enxergue o fundo de meu eu maior curado realmente, mas sei que hoje estou um bocadinho melhor do que estava ontem e tenho fé que quem sabe amanhã eu consiga mais um bocadinho. 

Longo é o caminho da evolução, mas cada passinho a frente que damos é tão recompensado, é coberto de pétalas de rosas por aqueles que nos amam e por isso nos amparam em cada jornada.


Sempre que olho o meu passado, ajoelho-me ao solo tomado de tamanha gratidão ao Pai Maior e a Jesus Mestre amado que nos deixou um legado do mais puro amor.


Fiquem em paz
ditado pelo Irmão da Paz
psicografado por Luconi

em 30-10-2014

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O AMANHÃ É HOJE





Não mais esperemos o amanhã chegar, pois este amanhã que tanto esperamos pode se estender indefinidamente,  como a linha do horizonte se torna sempre distante quando mais caminhamos em sua direção.


O hoje, o agora, é a hora de pormos em prática a mudança que tanto planejamos, pois o hoje é o amanhã de ontem, não prolonguemos ainda mais a chegada do momento das mudanças, pois este momento depende unicamente de nós.


Não é fácil, mas o mais difícil é a conscientização de que as mudanças deveriam ser feitas, a partir de então adiá-las é apenas nos sentirmos açoitados pela nossa consciência, pois sabemos o que é certo, tomamos consciência da realidade dentro de nosso eu maior e enquanto não começarmos a colocar em prática nos sentiremos em falta, não com o mundo, mas conosco mesmo.


O amanhã é hoje, a hora é esta, basta de pontos de interrogações, de medos, de permitir que o orgulho e o egoísmo, nublem nossa disposição para a melhora.


O caminho é árduo, haverá empecilhos a serem superados, às vezes os espinhos machucarão nossos pés, farão nossa força de vontade enfraquecer, mas se tivermos fé não permitiremos que nada disso nos impeça de seguir com o nosso intento, seguirmos a nossa missão de forma limpa com a certeza que no amanhã que pode ser distante ou não, não nos envergonharemos de nós mesmos diante do Senhor, Daquele que a tudo enfrentou para poder nos exemplificar a Lei da Vida, a Lei do Amor, Ele não esperou o amanhã, aproveitou cada momento, para nos deixar a mais importante lição de vida: 

Sem amor puro, sem doação de si mesmo, sem caridade, sem anularmos o nosso próprio eu para estender a mão para o eu de nosso irmão, não estaremos no caminho da evolução, estaremos apenas retardando nossa evolução e a evolução da humanidade.



ditado pelo Irmão da Paz
psicografado por Luconi

em 21-10-2014

terça-feira, 16 de setembro de 2014

VIDA QUE SEGUE



Não foi tudo ilusão,
nem foi tudo em vão,
houve uma razão maior,
que cumpriu-se dentro do teu melhor.


Não te tortures,
entre tantos porquês,
assim haveria de ser,
assim o foi.


De ter-te ao seu lado,
o merecimento havia alcançado,
o carma final só não passaria,
irmã tão querida reencontraria.


Hoje tu sofres,
a alma se debate,
nas teias da emoção,
mas encontrarás resposta na razão.


Que te diz,
ter, amparar e perder,
era a minha lição,
reatar antigo laço, minha obrigação.


Mas eu te digo:


De tu mesma a renuncia,
este amor purificou,
aprendeste a amar,
como Jesus ensinou.


Então segue minha irmã,
vá te encontro com a vida,
o teu coração escuta,
ele te levará,
para nova sementeira.



Ditado por João de Albuquerque
psicografado por Luconi
em 11-09-2014


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

BENDITO SEJAM OS ANÔNIMOS





 Não fui perfeita, não fui santa, estive longe de ser aquilo que um dia me propus.
Não alcancei as metas há tanto tempo traçadas.
Deixei-me levar pela inconstância dos sentimentos que povoavam os meus dias.
Acreditei lutar a mais justa das lutas, mas tarde demais percebi que era só ilusão. Os ideais eram belos, mas por detrás dos idealistas existiam interesses bem diversos àqueles ideais.

Eu não percebi, era cega e surda a razão, para os meus ídolos eu sempre tinha uma boa desculpa, até que no final usei o velho chavão os fins justificam os meios, passando por cima de meus verdadeiros valores.

É antes tivesse sido uma anônima, aquelas que eu tanto desprezava por achá-las acomodadas à situação injusta sem nada fazerem. Aquelas tais anônimas, muitas plantavam sementes de amor, cultivavam a paciência e não se afastavam de seus valores, dignificavam seus lares e suas consciências não precisavam arrumar desculpa nenhuma para se calarem, pois estavam em paz.

Elas sofriam toda consequência da sociedade injusta, mas pacienciosas sabiam ser a estaca principal de seus lares. Davam a seus lares o alicerce firme e nem sempre tinham um companheiro que as valorizavam e as acompanhavam nos sentimentos nobres.

Mas, mesmo assim, elas persistiam magoadas, cansadas, injustiçadas, não deixavam transparecer, pois o amor que sentiam e a fé eram bem maiores que qualquer ferida de seus corações. Partiram, fizeram a grande viagem, julgando-se um nada, com chuvas de pétalas de rosas foram recebidas e elas ainda achavam que não mereciam.

Eu? Uma revolucionaria que serviu de instrumento útil na mão de quem soube usar a minha paixão por justiça, paixão cega, acabei ajudando a levar ao poder quem tanto mal ao povo, que eu defendia, fez.

Eu? Descobri tarde demais em vida que havia me enganado e como quem planta colhe conforme plantou, acabei sentindo vergonha de mim mesma, acabei numa vala vítima de quem queria calar a minha boca.

Como estou? Depois de mais de trinta anos, caindo em mim finalmente que os erros eram só meus e de mais ninguém,  me arrependendo deles, acabei concluindo que meu assassinato nada mais fora que consequência dos meus erros e finalmente o ódio passara.

Então irmãos me recolheram, e hoje após dez anos de tratamento, estudos e trabalho junto ao próximo, estou aqui passando este relato.

Bendita sejam as guerreiras anônimas da vida, aquelas que ninguém valoriza, ninguém ouve, aquelas que são o porto seguro de todos que as procuram, bendita sejam.

Hoje trabalho muito para um dia poder retornar e ter a honra de ser uma delas, uma guerreira anônima, apenas o alicerce para aqueles que precisarem.

Passo a vocês este relato, por que nos dias de hoje, mais e mais, assistimos a desvalorização daqueles que, homens ou mulheres, se sacrificam em prol de um bem maior que é o cuidar daqueles que a vida lhes deu sob tutela.


ditado por Zelda
psicografado por Luconi

em 11-09-2014